O Curso

Curso de Qualificação Profissional em Tango Dança

Estudo Científico do Tango Dança

Em Curitiba PR e Blumenau SC

…” O Tango se apresenta como um evento que nos põem como reflexo de múltiplos aprendizados espontâneos, que se dão mediante a sua “aqui” improvisada manifestação dinâmica e que leva em sua mecânica para a impressão pessoal aqueles seus pensamentos mais íntimos. “…

Informações Gerais

“Tango” Patrimônio da Humanidade!

Cada Ano é Certificado separadamente.

Uma formação única no Brasil e no mundo!

*Não é necessário conhecimentos prévios em dança.

Queridos Amigos,

Com o intuito de tornar acessível às pessoas em geral um conhecimento que reflete o ser em movimento, estimula a sensibilidade e que segundo o pensador norte americano Waldo Frank, foi definido como “a mais profunda das danças populares da história da humanidade” apresentamos a proposta deste curso.

Sejam Bem-vindos!!

Marco Toniasso
Diretor Geral

A quem se destina:

O Curso se destina a você que quer ingressar no círculo de milhares de pessoas que decidiram dar seus passos para transpor o mistério dessa emoção dançada que é o Tango.

À Professores, Bailarinos, Coreógrafos, Pesquisadores e Profissionais que:
- Atuam na área de gestão de atividades de dança, criando, desenvolvendo e coordenando ações, projetos e programas culturais em instituições públicas e privadas, fundações e organizações.
- Aos que Planejam, avaliam e desenvolvem, ações pedagógico-artísticas nos ensinos fundamental, médio e técnico, bem como na modalidade informal (estúdios, centros de cultura, empresas, entre outros).
- Aos que  atuam como pesquisadores e instrutores educacionais de danças de salão, clássica, moderna, contemporânea, entres outras.

Requisitos:
Ensino Médio Completo
Idade Mínima de 18 anos
*Não é necessário conhecimentos prévios em Dança.

Local do Curso em Curitiba PR:
Academia Débora de Carvalho
Av. São José 918 fundos Bairro Cristo Rei – Curitiba PR

Local do Curso em Blumenau SC:
Ballroomdance – Centro de Dança
Rua São Paulo 2499  Bairro Itoupava Seca – Blumenau SC

Certificação:

ANO I -
Qualificação Profissional em Tango Dança

Estudo Científico do Tango Dança Nível I
Regulamentação:
Portaría Nº 008 – Secretaría de Estado da Educação SC

ANO II -
Qualificação Profissional em Tango Dança

Estudo Científico do Tango Dança Nível II
Regulamentação:
Portaría Nº 008 – Secretaria de Estado da Educação SC

ANO III -
Qualificação Profissional em Tango Dança

Estudo Científico do Tango Dança Nível III

Como Participar:
Através dos Mecanismos de Inscrição Clicando Aqui

Objetivo do Curso

Com a Criação, Direção e Realização de Marco Toniasso TangoStudio,
Apoio Institucional de Ballroomdance Centro de Dança,
Apoio Institucional da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil,
Auspicio da Dirección General de Promoción Cultural Ministerio de Cultura GCBA,
Auspicio da Academia de Folklore de la República Argentina,
Apoio da Dinzel International e de Carel Kraayenhof – Middenbeemster Holanda.

Oferecemos ao público um Curso de Tango Dança que possibilite a prática, estudo e  experimentação  de um esforço estético-dinâmico resultante da vontade popular nascida através do choque de raças e arquétipos sociais em cidades portuárias do Rio da Prata.

Por ser uma das maneiras de responder as questões humanas a partir do movimento tal manifestação cultural ganhou o mundo, universalizando identidades  e se adaptando as distintas exigências sócio-culturais que permitiram sua aceitação e permanência.

Objetivo do Curso

Na orientação da busca permanente de estímulos e fontes que atuem sobre essa sensibilidade do individuo, objetivamos a partir do Tango Dança como meio expressivo universal,  sua  transmissão a cargo de 11 destacados especialistas, mestres e doutores brasileiros e argentinos com o seguinte propósito:

- Explorar novos meios expressivos através da sua Dança  proporcionando novos caminhos para a evolução humana.
- Proporcionar novos estímulos através do processo de ensino – aprendizagem encaminhando a novas etapas criativas.
- Desenvolver as qualidades de cooperação, comunhão e colaboração orientadas à obtenção de uma consciência de grupo.
- Favorecer através de uma progressão pedagógica, o aprendizado do Tango Dança junto à seus aspectos de construção técnicos, mecânicos, estilísticos, genéricos, dinâmicos, estéticos, históricos, etc.
- Despertar o interesse pela busca pessoal das possibilidades que  oferece o acervo motor humano, chegando a uma situação de baile como unidade psico-motora e sensorial integrada.

Temos consciência que o fenômeno Tango é o elemento que utiliza o povo como participante orgânico em sua aprendizagem. Sendo assim é necessária uma ação concreta de reformular seu enfoque e, desde o principio, observar de maneira generosa a exposição e a transmissão de seus diferentes aspectos de construção.

Está-se perante a possibilidade de discernir e reformular constantemente as bases para uma discussão com seus alcances, suas projeções tanto internas como externas, desde o individual até o coletivo. Ainda, é possível refletir sobre o fato de que essa arte, o Tango, com todas as suas expressões e principalmente na dança, ainda seu “allure”, encaminha-se para ser uma ferramenta universal que possibilita interiorizar-se nas profundidades humanas.

Disciplinas

Disciplinas e Carga Horária – Ano I 200 horas

  1. Prática e Esquemas I – Matéria Prática 56 horas
  2. Técnica e Improvisação do Movimento I – Matéria Prática 56 horas
  3. Técnica do Mecanismo I – Matéria Prática 24 horas
  4. Gênero Feminino I – Matéria Prática 8 horas
  5. Prática I – Matéria Prática 20 horas
  6. Panorama e Desenvolvimento do Tango – Matéria Teórica 16 Horas
  7. Música Aplicada ao Tango Dança – Matéria Teórica/Prática 20 horas

Disciplinas e Carga Horária – Ano I 100 horas

  1. Técnica do Mecanismo – Matéria Prática – 20 horas/aula
  2. Prática e Esquemas I – Matéria Prática – 40 horas/aula
  3. Técnica e Improvisação do Movimento I – Matéria Prática – 40 horas/aula

Disciplinas e Carga Horária – Ano II 200 horas

  1. Prática e Esquemas II – Matéria Prática 52 horas
  2. Técnica e Improvisação do Movimento II – Matéria Prática 48 horas
  3. Técnica do Mecanismo II – Matéria Prática 12 horas
  4. A Fluência entre Música, Espaço e Dança – Matéria Teórica/Prática 20 horas
  5. Prática II – Matéria Prática 16 horas
  6. Concepção Coreográfica do Tango I – Matéria Teórica/Prática 32 horas
  7. Estilos Interpretativos do Tango  – Matéria Teórica/Prática 20 horas

Disciplinas e Carga Horária – Ano III 200 horas

Ementas

Ementas – Ano I

1 Prática e Esquemas I

Prática das distintas figuras através do manejo social das mesmas e adequação às circunstâncias de tempo e espaço. Esquemas/Sistema de Notação Coreográfica. Nível I.

2 Técnica e Improvisação do Movimento I

É o trato conceitual e prático do manejo da estrutura do par, dos movimentos individuais e do desenho, somado a relação entre os integrantes do par, de maneira de conter as idéias necessárias para  a realização do complexo dinâmico na forma do reconhecido Tango Conceitualizacão do manejo da estrutura e relação físico- sensorial do  Par, dos movimentos individuais e do desenho dentro da Improvisação do Tango Dança. Nível I.

3 Técnica do Mecanismo I

Agrupamento e sistematização de exercícios especialmente desenhados para melhorar a performance do bailarino. Orientados para a preparação de cada segmento do corpo para sua correta utilização na técnica da dança. Nível I.

4 Gênero Feminino I

Matéria prática focada em recuperar a igualdade com a que o Tango foi dançado em seus primordios. Proporcionando as ferramentas necessárias para que as mulheres desenvolvam plenamente sua capacidade estética e criativa, assumindo ativamente seu papel, enriquecendo o discurso criador do par. Garantindo assim seu aporte para a evolução desta dança. Nível I

5 Prática I

Prática dirigida das distintas figuras através do manejo social das mesmas e adequação às circunstâncias de tempo e espaço.

6 Panorama e Desenvolvimento do Tango

Possibilitar a forma de chegar aos conhecimentos sobre as origens, na segunda parte do século XIX nos “conventillos” da cidade de Buenos Aires, da dança do tango, seu contexto social, sua elaboração musical das primeiras épocas.

Apresentar a transformação e desenvolvimento com as diferentes manifestações artísticas e suas repercussões fora do âmbito de origem: em outros meios sociais e seu sucesso a nível internacional, primeiro em Paris de ante primeira guerra mundial e depois ao mundo.

Brindar os instrumentos para observar as mudanças e o desenvolvimento do tango durante mais de um século e meio: Guardia vieja – Guardia Nueva – contemporaneidade – eclecticismo, seus principais interpretes em seus principais gêneros artísticos: dançavel – musical – vocal e em outras manifestações artísticas.

7 Música Aplicada ao Tango Dança

A Cátedra Música Aplicada ao Tango Dança está destinado a estudantes, bailarinos, profissionais e amantes desta dança.

Acrescentando a apreciação musical de cada aluno a través da imitação com o corpo e a voz de: ritmos, melodias e “fraseos” próprios do tango; se propõe analisar sua linguagem musical nos aspectos: rítmico, melódico e formal analisando sua evolução desde suas Origens até a atualidade.

Conhecendo em profundidade as características musicais de cada estilo interpretativo (De Caro, D’ Arienzo, Di Sarli, Troilo , Pugliese,  Piazzolla)  se pretende que cada aluno comece a elaborar uma dança própria e particular a través da improvisação, que é a essência primeira desta dança, desenvolvendo um sentido de comunicação corporal com a Música e o companheiro.

Esta Cátedra aspira  ser um incentivo para um futuro desenvolvimento da consciência individual, na busca de maior sensibilidade, expressividade e musicalidade para a dança e o desenho coreográfico.

Ementas – Ano II

1 Prática e Esquemas II

Prática das distintas figuras através do manejo social das mesmas e adequação às circunstâncias de tempo e espaço. Esquemas/Sistema de Notação Coreográfica.  Nível II.

2 Técnica e Improvisação do Movimento II

É o trato conceitual e prático do manejo da estrutura do par, dos movimentos individuais e do desenho, somado a relação entre os integrantes do par, de maneira de conter as idéias necessárias para  a realização do complexo dinâmico na forma do reconhecido Tango Conceitualizacão do manejo da estrutura e relação físico- sensorial do  Par, dos movimentos individuais e do desenho dentro da Improvisação do Tango Dança. Nível II

3 Técnica do Mecanismo II

Agrupamento e sistematização de exercícios especialmente desenhados para melhorar a performance do bailarino. Orientados para a preparação de cada segmento do corpo para sua correta utilização na técnica da dança. Nível II

4 A Fluência entre Música, Espaço e Dança

Apresentação do conceito técnico que permeia a Dança de Relações e Experimentação – DRE e através de um estudo básico sobre as hibridações existentes nas criações de dança, suas origens e características, assim como seus desdobramentos motores, usando-os como meio de entendimento para a compreensão da importância do tônus muscular como instrumentos de mixagem de diferentes vertentes numa mesma composição.

5 Prática II

Prática dirigida das distintas figuras através do manejo social das mesmas e adequação às circunstâncias de tempo e espaço.

6 Concepção Coreográfica do Tango I

Introdução à composição coreográfica. Estrutura coreográfica. Organização estética. Desenho coreográfico de uma “variação”.

7 Estilos Interpretativos do Tango

A mediados da década de vinte, em coincidência com a consolidação definitiva da orquestra típica, começam a diferenciarem-se duas correntes opostas na interpretação orquestral:

A corrente tradicionalista que mantém a execução do tango dentro dos cânones interpretativos da “guardia vieja” iniciada por Roberto Firpo, Francisco Canaro, Francisco Lomuto e Anselmo Aieta, aos que lhes sucederam Juan D´Arienzo, Rodolfo Biagi, Alfredo de Angelis, Angel D´Agostino, entre outros, identificados na mesma tendência.

A corrente evolucionista que propõe o desenvolvimento musical do tango junto a Julio de Caro e Osvaldo Fresedo. Ambos configuram, pro mediando a década de trinta, as duas escolas fundadores cuja promoção acolhem os músicos de cada seguinte geração: Carlos Di Sarli, Miguel Caló, Alfredo Gobbi, Lucio Demare, entre outros.  Esta corrente chega a seu ponto máximo com as orquestras de Troilo, Pugliese, Piazzolla e Salgán  que, originais e autenticas, constituem a culminação do tango instrumental.

Esta disciplina propõe analizar a linguagem musical de cada um dos estilos nos aspectos: rítmico, melódico e formal e desta forma adquirir um critério para o tipo de interpretação que se adotará na dança.

Almeja-se que cada aluno logre reconhecer as possibilidades expressivas de cada Estilo Musical e logre aplicar-las aos conhecimentos coreográficos.

Ementas – Ano III